Como superar problemas financeiros

Como superar problemas financeiros administrando bem o seu salário, e tendo uma vida tranquila mesmo com pouco dinheiro.

Quando não conseguimos organizar as nossas finanças, todos os nossos sonhos podem ir por água abaixo. Aquela vontade de trocar de carro, fazer uma viagem, comprar aquele produto... Se não há organização, os problemas financeiros só tendem a aumentar e se transformar em uma bola de neve eterna.

Devido a essa constante, muitas escolas hoje estão ensinando, em algum momento, a importância da educação financeira, de modo que os pequenos já saibam como economizar e perceber quando podem investir ou não. Assim, quando chegam à fase adulta, podem tomar decisões mais conscientes e racionais.

O que são problemas financeiros?

É melhor definirmos bem o que seriam os problemas financeiros. Sabia que os problemas financeiros aparecem mais para as pessoas que estão empregadas do que àquelas que perderam o emprego? E até que faz sentido. Um desempregado não irá gastar aquilo que não tem. Pode ser que até faça pequenas dívidas, mas não existe acúmulo ou falência. Já por outro lado, quando alguém está empregado e não corre o risco de ser demitido, é mais comum fazer diversas dívidas e pedir empréstimos para voar mais alto.

E é aí que os problemas começam a surgir.

Superando os problemas financeiros

Se um indivíduo ganha R$ 2.000,00 por mês e sempre está com saldo negativo porque precisa pagar as contas, que somadas ficam em R$ 2.500,00, as finanças não serão restabelecidas tão cedo. É necessário haver organização financeira.

Como superar problemas financeiros

Existe uma fórmula chamada 70-20-10. E é assim que resolverá seus problemas!

70-20-10. Do que se trata?

70-20-10 é uma fórmula bastante utilizada para quem quer guardar uma quantia de dinheiro e ao mesmo tempo gastar com lazer e contas de casa. Para entendê-la melhor, saiba que será necessário separar seu salário em três nichos, veja:

  • 70% do seu salário será para pagar contas essenciais e/ou fixas;
  • 20% do seu salário será para pagar gastos extras;
  • 10% do seu salário será para guardar, poupar.

As contas de água, luz, telefone, celular, gás, aluguel, financiamento ou consórcio, por exemplo, são gastos fixos, isto é, precisarão ser pagos mensalmente. E 70% do seu salário deve ser destinado a isso. Você perceberá, então, após o cálculo, que a economia começará a partir daqui. Os gastos extras, também chamados de variáveis, são aqueles que podem ser destinados ao lazer, como almoçar e jantar fora, comprar roupas e acessórios, viajar. Como são gastos variáveis, literalmente, apenas 20% do salário deve arcar com as estas compras. E por último, 10% do salário deverá ser guardado na conta poupança, para usá-lo em caso de alguma emergência ou para planos futuros.

Essa fórmula não só mexerá em todos os seus gastos, como fará com que você, obrigatoriamente, respeite o seu salário e o quanto pode ser gasto por mês. Assim, os problemas financeiros diminuirão, e muito!

Racionalidade em primeiro lugar

Quando se fala em números e, neste caso, em dinheiro, é vital que você mantenha a cabeça no lugar, pense e aja racionalmente. Mesmo que não siga a fórmula 70-20-10, é preciso ter consciência dos gastos.

Se você ganha uma determinada quantia, não deve gastar o que não tem. A prioridade é manter seu nome limpo, sem dívidas, ou pagá-las religiosamente todos os meses, para diminuí-las. Comprar à vista ou a prazo é indiferente. O fundamental é ter condições para usufruir corretamente do seu salário e finanças para atingir seus objetivos calmamente, sem sobrecarregar.

Evite também empréstimos e compras em muitas parcelas, devido aos juros, que podem acarretar numa quantia ainda maior que aquela acordada.

Outra dica que pode lhe ajudar muito a superar problemas financeiros é não usar o cartão de crédito e realmente economizar, mudar o estilo de vida, e se adaptar à sua própria realidade.

Dessa forma, ficará mais fácil manter a ordem das finanças e conquistar mais sonhos!

Aviso
O Site Manual de Saúde tem caráter meramente informativo. Diante de qualquer problema, não faça nenhum diagnóstico ou automedicação com base nas informações lidas aqui. Informe-se e procure um médico de sua confiança.