Como ser paciente

Como ser paciente com as pessoas, evitar situações desgastantes e ter uma vida mais tranquila, com menos estresse.

Parece que quanto menos tempo nós temos, menos pacientes tendemos a ficar. Já diziam que a paciência é uma virtude, mas parece mais um dom ou adaptação, do que um exercício diário. Mas, é necessário cultivar a paciência, de modo que saibamos conhecer o outro, que possamos conviver em sociedade e, mais importante, respeitar o tempo de cada um.

Dizem também que a paciência vem com a maturidade, entretanto, é muito relativo. Afinal, não precisamos nos amadurecer para sermos gentis ou educados com o próximo, pelo contrário, reconhecemos a necessidade de sermos humanos em nossas atitudes para que no futuro os frutos sejam colhidos. Seja como for, cada vez mais existe a carência de um mundo mais paciente.

Paciência se treina

Para ter paciência é treiná-la. E o primeiro passo para fazer isso acontecer é se colocando no lugar do outro. Não são todos os dias que temos essa capacidade, e por que não, tempo de perceber o outro e tentar se colocar no lugar dele. Geralmente, as pessoas gostam de ter por perto alguém em quem pode confiar, desabafar e que dê sugestões de como melhorar o dia a dia.

E a paciência vem junto. Nem sempre estamos dispostos a isso. Mas, se em algum momento observar o outro e colocar em prática aquele ditado “não faça com os outros o que você não quer que façam com você”, é possível que consiga trabalhar a paciência.

Como ser paciente

Paciência em conjunto com a respiração

A todo momento respiramos e a cada segundo não reparamos nesse simples ato involuntário. E sem ele não poderíamos continuar tendo uma rotina. Logo, uma forma de cultivar a paciência é trabalhando com a respiração, sabendo inspirar e expirar, encontrando uma forma de relaxar para entrar em contato com os batimentos cardíacos.

Ao se concentrar na respiração, nós ficamos mais calmos e evitamos que o hormônio do estresse seja liberado. Mais que isso, conseguimos ouvir paciente o outro, sem provocar discussões ou discórdias que não levarão a nada.

Portanto, respire. Quando se estiver em seu limite e quando não quiser falar algo que irá se arrepender depois, encontre forças para respirar. Inspire e expire profundamente três vezes. Isso ajudará a diminuir a pressão, a ansiedade, o que for.

Paciência e a simplicidade

Outro fato que pode auxiliar para se ter mais paciência é manter a simplicidade. Isso quer dizer que não se deve atropelar tarefas ou responsabilidades. Se você não tiver paciência para que as coisas acontecem no tempo certo, jamais conquistará os objetivos quando quiser. Pelo contrário, a frustração chegará ainda mais rápido. 

É importante respeitar os seus limites, no sentido de ir aos poucos resolvendo seus problemas e não tentando “abraçar” o mundo com apenas duas mãos. Às vezes, precisamos descansar para não ficarmos ainda mais comprometidas com tarefas que não merecem a nossa devida atenção. Já pensou nisso?

Se o foco é ter paciência, é ainda mais fundamental que se tenha paciência consigo mesmo. Não se pode querer ajudar os outros, ou ter paciência com os outros, se não a cultivamos quando nós precisamos ser pacientes.

Pode ser difícil acreditar, mas se quisermos viver em harmonia com nós mesmos, qualquer tipo de tentativa é útil para servir de aprendizado, independentemente se cometemos erros no meio do caminho.

Lembre-se: se alguém precisa contar com você, o mínimo que se pode fazer é estender a mão e esperar pelo melhor. Logo, não tente ser algo que não é. Por isso, seja paciente.

Se viver um dia de cada vez, sem pensar muito no amanhã, é possível ter dias mais leves, menos estressantes. Então, que tal respirar fundo, ser otimista e se por no lugar dos outros?

Aviso
O Site Manual de Saúde tem caráter meramente informativo. Diante de qualquer problema, não faça nenhum diagnóstico ou automedicação com base nas informações lidas aqui. Informe-se e procure um médico de sua confiança.