Como ser compreensível

Como ser compreensível com o outros, cultivando a igualdade e a empatia, e consequentemente conquistar as pessoas.

Compreender o outro requer muito cuidado e paciência. A compreensão exige uma percepção maior de mundo, menos egoísmo e mais altruísmo. A partir do momento que compreendemos que o outro é tão diferente quanto cada um de nós, fica mais fácil deixar de lado qualquer diferença cultural ou de personalidade.

Se o foco é ser mais compreensível com o outro e com nós mesmo, o primeiro passo é entender que cada indivíduo tem sua própria necessidade, vontade, desejo, sentimento, sonhos e ambições. Assim, não teremos tempo para julgar ou formar preconceitos que caracterizam em discriminação, impaciência ou ignorância. Afinal, já pensou o que nos faz diferente dos outros? Nada. Cada ser tem suas particularidades, e por isso que é tão interessante conhecer o outro e compreender o que o aflige. Só assim teremos a habilidade de não sermos egoístas.

Igualdade é o lema!

Deu para entender que cada ser tem uma impressão digital, por assim dizer, certo? Pois bem. É vital que tratemos os outros de modo igual, já que ninguém é melhor que ninguém. Mas, não é exatamente isso que precisa ser feito.

Ao percebemos que indivíduos têm suas diferenças, fica mais fácil compreender suas dificuldades, suas frustrações. Com isso, teríamos mais consideração pelos outros, principalmente ao imaginar que também temos as nossas próprias preocupações. Então, por que teríamos o direito de julgar ou ser incompreensível, se somos também assim?

Como ser compreensível

Empatia sempre

Sabemos o quanto a primeira impressão é aquela que fica, especialmente se não conhecemos a pessoa ou se já ouvimos algo sobre ela. Devemos deixar o julgamento para outro dia e evitar que determinados estereótipos permaneçam com a gente antes mesmo de tirarmos nossas próprias conclusões. Se já formos ignorantes ou preconceituosos, jamais seremos compreensíveis com a dor ou ansiedade do outro.

Essa é a maior necessidade do mundo de hoje: ter empatia. Empatia de conhecer o outro com os olhos de quem os vê pela primeira vez. É fato que muitos não se esforçam para criar uma conexão com o outro, devido à inveja ou ausência de sensibilidade.

Um passo para ser mais compreensível é não permitir que a vaidade entre no meio. Ter empatia é respeitar, ser educado, sorrir e desejar um bom dia, por exemplo. Portanto, se coloque sempre no lugar dos outros e trate-os de maneira digna.

Cuidado com a linguagem corporal

Você sabia que dependendo do gesto ou da posição do corpo, você pode afastar as pessoas ou impedir que elas confiem em você. O simples fato de deixar os braços cruzados ou deixar seus pés retos, quer dizer que não está a fim de conversa e que está inseguro, desconfortável para mantê-la.

Caso queira que as pessoas confiem em você e caso queira se tornar um indivíduo mais compreensível, preste atenção na linguagem corporal!

Olhar diretamente para os olhos da pessoa, escutar atentamente e aconselhar, são alguns passos que mostrarão que você tem empatia e que você está a fim de ajudar. É claro que tudo deve ser feito de forma espontânea e não forçada, visto que é preciso estar disposto para ser amigo.

O espelho é o melhor amigo

Você se olha no espelho? Uma das melhores formas de ser compreensível é olhando-se no espelho. Observar seu olhar, seu corpo, conversar consigo, faz de você uma pessoa melhor, mais perceptiva e muito mais preparada para lidar com as diferenças dos outros. Sem contar que estará mais disposta a compartilhar experiências e permitir que pessoas conheçam mais sobre a sua personalidade, gostos e medos.

Não se pode se fechar por completo com medo de que os outros lhes vêem sem suas defesas já programadas. Baixar a guarda é um sinônimo de estar aberta a novas possibilidades e oportunidades para conhecer a si mesmo, e ser mais compreensível com os outros!

Aviso
O Site Manual de Saúde tem caráter meramente informativo. Diante de qualquer problema, não faça nenhum diagnóstico ou automedicação com base nas informações lidas aqui. Informe-se e procure um médico de sua confiança.