Como cuidar de uma adolescente grávida

Como cuidar de uma adolescente grávida para que ela tenha responsabilidades e tranquilidade neste momento especial.

Sabemos que, na maioria das vezes, os casais planejam o futuro, terem uma família, um lugarzinho e serem muito felizes juntos. Afinal, é necessário planejamento. Entretanto, pode ser que algo não saia conforme o combinado, como uma gravidez. E a situação piora ainda mais quando a grávida é sua filha adolescente.

Esses casos são bem comuns, independentemente da faixa etária ou classe social. Entendemos que esses fatores podem influenciar em alguns casos, só que esse “problema” afeta a todos, aqueles que recebem educação e aqueles que não têm acesso à educação. Por ser uma situação delicada, tanto os pais quanto a adolescente não sabem muito bem por onde começar. E você? Sabe como cuidar de uma adolescente grávida?

Vamos às dicas!

Quando acontecer a tal conversa sobre a gravidez, não adianta comentar sobre como ela deveria ter se prevenido ou quando aconteceu, ou o quê pretende fazer com a gravidez. Por mais que seja difícil, complicado e até alguns casos incompreensível, é essencial que haja uma conversa franca sobre o presente e futuro. Afinal, a gravidez já existe. Logo, o primeiro passo é sentar e conversar, sem julgar ou tratar mal a adolescente, uma vez que seus hormônios estarão à flor da pele e o bebê já estará sendo formado dentro da barriga, ou seja, uma conversa sem estresse!

Esse momento é muito difícil, principalmente se a adolescente estava com o futuro planejado e não atendeu às expectativas dos pais. Então, é hora de respirar fundo quantas vezes forem necessárias, e ser madura. Explicar o que está ocorrendo no corpo da adolescente, avisar das mudanças (que deverão ser normais), comentar sobre exames, sobre o que é ser mãe, e das responsabilidades que esse título carrega para a vida inteira.

Se os pais forem compreensíveis, a gravidez será mais “fácil”, caso contrário, as brigas podem ser intensas e, geralmente, é a figura paterna que tende a deixar a situação ainda mais complicada.

Como cuidar de uma adolescente grávida

E é papel da adolescente também ser madura e explicar a situação, explicar a gravidez, pedir apoio, compreensão, suporte. Não pode fazer manha, birra ou chorar. Está na hora de crescer e arcar com as consequências, mesmo que isso indique que é hora de tornar-se uma mulher. Para ambos, pais e a adolescente, é uma nova “aventura”, então eles devem estar nas mesmas páginas para que a gravidez seja leve e não um martírio. Há casos em que a adolescente tem depressão pós-parto ou o desenvolvimento de algumas doenças devido ao estresse e transtorno psicológico.

Cuidados extras com adolescente grávida

Sabendo do que está acontecendo no corpo da adolescente e tendo os pais como suporte e apoio durante todo o processo, está na hora de prestar atenção em algumas dicas. A menina-mulher está descobrindo um novo mundo, tanto externo quanto internamente. É essencial que, para o seu amadurecimento, já que será mãe, que os pais não mimem e não diminuam as responsabilidades dela no que diz respeito à gravidez e ao cuidado com o bebê.

Portanto, apoiar não é sinônimo de criar ou mandar na gravidez da filha. Os pais devem entender que ela precisa de um tempo para assimilar e começar a cuidar do bebê que está crescendo em sua barriga, e depois também. Ela será mãe e não irmã. Isso não quer dizer que não deve haver carinho. Isso só quer dizer que está na hora e cortar o cordão umbilical.

Deixe que a adolescente tome as decisões principais, como o tipo de parto, quarto do bebê, nome, e assim por diante. É vital que ela já compreenda como a vida dela irá mudar após o parto.

E para os pais, também é importante assimilar que terão um neto. E nada de apressar (toda hora) para a adolescente voltar a uma vida “normal”, ir para a escola, trabalhar. É necessário tempo para que não haja nenhum tipo de problema nesse período. Lembrando que, o apoio é imprescindível.

Aviso
O Site Manual de Saúde tem caráter meramente informativo. Diante de qualquer problema, não faça nenhum diagnóstico ou automedicação com base nas informações lidas aqui. Informe-se e procure um médico de sua confiança.