Bumbum na nuca: dicas de como conseguir

Dicas para conseguir bumbum na nuca através de treinos específicos de maior amplitude, além de uma alimentação adequada.

Hoje em dia há uma crescente procura por uma vida mais saudável, ou melhor, por um corpo sequinho, mais definido e tonificado. Mesmo que, na maioria das vezes, as pessoas prestam atenção em seu corpo quando se chega o verão, é comprovado que as academias estão recebendo mais clientes nos últimos meses.

Se o foco é melhorar o corpo, não tem como não comentar o músculo queridinho das mulheres ultimamente: os glúteos. O famoso treino bumbum na nuca nunca esteve tão em alta, afinal, elas se preocupam com a estética da região, principalmente se for para usar um biquíni ou uma roupa mais justa.

Lembrando que, muitas pessoas buscam a tonificação muscular ou até mesmo a perda de peso por uma questão de saúde ou pela autoestima que está balançada. Logo, quando alguém quer uma mudança corporal, não há nada de errado em apoiar e motivar esse indivíduo que quer lutar contra pensamentos tristes ou julgadores.

Pensando nisso, neste artigo do Manual de Saúde, queremos compartilhar com vocês algumas dicas de como conseguir o bumbum na nuca. Estão preparados?

Por que não fazer em casa o treino bumbum na nuca?

A primeira dica é que não há a necessidade de se matricular na academia para ter o bumbum na nuca. Pelo contrário, sabia que é possível trabalhar os glúteos em casa mesmo, sem precisar usar nenhum aparelho?

O que você deve ter em mente é que para ter um bumbum na nuca são necessários exercícios de maior amplitude, isto é, que trabalham todos os músculos do glúteo. Você deve sentir “rasgar” a musculatura. Logo, o principal exercício é o agachamento. O agachamento é essencial para trabalhar os glúteos e as coxas. Mas, não se esqueça, desça até embaixo, com a coluna ereta. O ideal é fazer três séries de 15 a 20 repetições cada.

Dicas para conseguir bumbum na nuca

Outro exercício que também pode ser feito em casa é o afundo, em que uma perna fica na frente da outra e os joelhos devem flexionar. É parecido com um agachamento, mas a diferença é as pernas ficam afastadas e será necessário treinar cada grupo separado.

E, por último, o avanço, em que você caminha agachando, trabalhando toda a musculatura da perna e, consequentemente, dos glúteos. Lembre-se sempre da importância da amplitude nesses exercícios!

Montando um combo: exercícios e alimentação

Um dos principais vilões de um bumbum empinado e bonito são as celulites que, para muitas mulheres, são uma praga! Além de deixar a pele um pouco pálida e marcada, a celulite é um indicativo de que sua alimentação não vai bem, principalmente em relação à hidratação. 

Portanto, de nada adianta fazer exercícios localizados na região se a alimentação estiver totalmente desequilibrada. Logo, deixe de lado a bebida alcoólica e os refrigerantes, porque são um veneno! A água é essencial para manter o corpo hidratado por completo. Então, beber cerca de 2 litros de água por dia é vital para ter um bumbum na nuca.

O mesmo vale para os carboidratos, como os alimentos de farinha branca, uma vez que tendem a aumentar a gordura localizada e aumentar o inchaço no corpo.

O objetivo é ingerir alimentos que irão aumentar o volume do bumbum, nesse caso, é interessante colocar na dieta os carboidratos integrais e muitas fibras. Não se pode esquecer, em hipótese alguma, da importância de consumir proteína, já que é responsável em três fatores: aumento da massa muscular, aumento da força e fortalecimento do músculo. Após o treino, o músculo necessita de um tempo para se recuperar e a proteína acelera essa necessidade.

Sabendo disso, ao aliar exercícios de alta amplitude e uma alimentação balanceada, é possível aumentar o bumbum e conseguir aquela tonificação que sempre desejou, e consequentemente, o famoso bumbum na nuca.

Mas, será preciso paciência, dedicação e persistência!

Aviso
O Site Manual de Saúde tem caráter meramente informativo. Diante de qualquer problema, não faça nenhum diagnóstico ou automedicação com base nas informações lidas aqui. Informe-se e procure um médico de sua confiança.